Coluna Diario de Santa Maria - Edição 1
Voltar para o blog

Coluna Diario de Santa Maria - Edição 1

É hora de investir?


Vamos lá! Continuando a nossa conversa, e, para entender um pouco melhor sobre investir em imóveis é importante tratarmos melhor do assunto:

 

Comprar um imóvel ainda é o principal desejo de boa parte dos brasileiros, mas engana-se quem pensa que o mercado imobiliário vive apenas do sonho das pessoas de conquistar a casa própria.

 

Por conta da boa valorização e segurança que um imóvel oferece, é muito comum encontrar um outro tipo de comprador nesse mercado: o investidor. Seja para construir e vender, alugar, re-vender ou especular, o setor imobiliário é sempre visto como uma das formas mais tradicionais e seguras de investimento que existem.

 

Mas você sabe como funciona de fato um investimento imobiliário? De quais formas ele pode ser feito além da compra e venda direta de um imóvel?

 

Se não sabe, fique tranquilo: preparei um post completo, detalhando as características deste mercado e mostrando como aproveitar as melhores oportunidades que o setor oferece. 

 

Como se tornar um investidor imobiliário?

O setor imobiliário é um dos preferidos entre o público que quer investir seu dinheiro e construir um patrimônio, devido à junção de diversos fatores, tais como:

 

→ Sua segurança de investimento;

→ Seu grande potencial de valorização;

→ A demanda quase sempre alta agregando liquidez;

→ A possibilidade de diversificação.

 

A forma mais tradicional de investir nesse mercado é por meio da construção ou compra direta de um imóvel — seja para ser alugado e gerar uma renda passiva mensal ou para ser vendido por um valor maior no futuro. Porém, existem diversas outras maneiras de investir em imóveis. A modernização da economia e do mercado financeiro trouxe o desenvolvimento de novos produtos, muitos deles ligados ao setor imobiliário.

 

Vou relacionar aqui e pontuar os principais aspectos de cada um dos modelos de investimento imobiliário:

 

1 - Investimento em imóvel para Aluguel

 

Renda Passiva;

Formação de Carteira;

Valorização do imóvel;

OBS: é importante ressaltar que o investidor tem que saber o momento certo para fazer a substituição do imóvel (rodar sua carteira) para obter melhores resultados financeiros e menos transtorno quanto a manutenções.

 

2 - Especulação Imobiliaria

 

Curto prazo para retorno;

Investimento com capital baixo;

Alta Rentabilidade;
 

OBS: É importante ser cirúrgico nesta modalidade, pois a escolha não apropriada do imóvel pode fazer com que a demora na revenda estrague os planos.
 

3 - Fundos Imobiliários

 

Os fundos imobiliários são a reunião de um grupo de investidores (cotistas) que aplicam em conjunto seus recursos em empreendimentos imobiliários que não teriam capacidade de adquirir sozinhos.
Esses investimentos podem ser, por exemplo:

 

→ Um shopping;

Um prédio comercial;

→ Um hotel;

→ Uma agência bancária;

→ Um empreendimento residencial.

 

Cada participante possui um número de cotas no fundo imobiliário, proporcionais ao dinheiro que investiu, e em alguns desses fundos é permitida a negociação de cotas na bolsa.
Neste último caso, um investidor de fundos de investimento imobiliário possui a vantagem de ter liquidez diária, pois pode entrar ou sair do fundo a qualquer momento, comprando ou vendendo suas cotas no mercado.

 

4 - Títulos de Crédito Imobiliário

 

Os títulos de crédito imobiliário são títulos de renda fixa lançados por instituições financeiras, lastreados em créditos imobiliários.

 

O comprador do título “empresta” o seu dinheiro para um banco, que emprega a quantia para financiar a construção e aquisição de imóveis por terceiros. Com isso, parte dos juros que o banco ganhará por essa operação é repassado para o investidor como sendo de rendimento.

 

Existem três principais títulos no mercado. São eles:

 

→ LCI (Letras de Crédito Imobiliário): Títulos emitidos para financiar diretamente empresas do setor imobiliário. A rentabilidade da LCI pode atingir até 100% do CDI, mas, como são isentas do imposto de renda, seus rendimentos líquidos muitas vezes superam o CDB. Possuem a grande vantagem de serem garantidas diretamente até o valor R$ 250.000,00 — por conglomerado financeiro e por CPF — pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), no caso de investidores que são pessoa física;

 

→ CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários): Título do tipo securitizador, que consiste no direito de receber o pagamento dos empréstimos tomados por empresas do setor, como incorporadores e imobiliárias. Apesar de possuir um certo risco pela possibilidade de “calote”, além da baixa liquidez e da ausência de proteção do FGC, a CRI possui uma boa rentabilidade, normalmente atrelada a índices como IGP-M, IPCA ou TR.

 

→ LH (Letras Hipotecárias): São títulos de renda fixa garantidos por créditos lastreados em hipotecas. Possuem prazo mínimo de aplicação de 6 meses, e quanto mais longo o vencimento, melhor são os ganhos obtidos. A rentabilidade costuma estar atrelada a um indexador, como CDI, TR ou TJLP. Também não possuem proteção pelo FGC, além de contarem com baixa liquidez no mercado.

 

5 - Crowdfunding Imobiliário

 

O conceito de crowdfunding apareceu inicialmente por meio do financiamento coletivo de projetos pela internet, por meio de plataformas colaborativas como o Kickstarter. Porém, com o passar do tempo o modelo se expandiu e possibilitou a realização também de investimentos via crowdfunding, nos mais variados setores. Um desses foi, justamente, o setor imobiliário.

 

Com isso, surgiu o crowdfunding imobiliário. A ideia é simples: tornar o investimento em imóveis acessível a qualquer um.

 

6 - SPE-PC (Sociedade de Propósito Especifico a Preço de Custo)

 

As SPEs vierem para substituir os chamados condomínios a preço de custo. As SPEs conseguem entregar melhor desempenho ao investidor e suas principais características são:

 

Baixa exposição do investidor;

Rentabilidade Alta;

Aportes de capital durante o período de construção;

Baixo Custo com documentação

Decidir entre, Ocupar, locar ou vender o imóvel

 

Estas são algumas das possibilidades, mas gostaríamos de uma oportunidade maior em estender esta conversa e poder entender qual delas pode ser a melhor opção para você iniciar ou continuar investindo. Chame um dos profissionais da nossa empresa através dos nossos contatos de plantão e entenda qual a movimentação e as novidades que Santa Maria tem a oferecer aos investidores.

Outros posts

  1. Vendas no mercado imobiliário sobem 17,3% no 2º trimestre

    Vendas no mercado imobiliário sobem 17,3% no 2º trimestre

    Alta na comparação com 2017 foi de 32% Sudeste liderou crescimento. As vendas de imóveis no país no 2º trimestre de 2018 apresentaram alta de 17,3% em relação aos primeiros 3 meses do ano. Na comp...

  2. Valor do imóvel comprado com o FGTS aumentará para R$ 1,5 milhão em 2019.

    Valor do imóvel comprado com o FGTS aumentará para R$ 1,5 milhão em 2019.

    O governo acaba de anunciar um pacote de medidas para estimular a compra da casa própria para a classe média. A partir de janeiro de 2019, trabalhadores que desejarem utilizar o saldo do FGTS (Fundo d...

  3. VITTA CENTER

    VITTA CENTER

    Vitta Center – um centro de saúde e bem-estar!O Vitta Center é um empreendimento que foi planejado para trazer ainda mais desenvolvimento para Santa Maria e região. Desenvolvido em conjunto com profis...

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência.

Vendas - Locações - Financiamentos - Consultoria

(55) 3307-6410

Vendas - Locações - Financiamentos - Consultoria

(55) 3307-6410